TIPOS DE TRATAMENTOS DAS LENTES

OZÔNIO | COMO A LUZ DO SOL AFETA SEUS OLHOS

HIDRO REPELÊNCIA, ÓLEO-REPELÊNCIA e ANTIEMBAÇAMENTO

Estes tratamentos são essenciais para a durabilidade das lentes. Repelência a água e ao óleo, evitar as lentes embaçarem em mudanças térmicas bruscas, aumentando assim a facilidade de limpeza das lentes, evitando danos futuros, pelo modo inadequado e repetitivo de fricção ao limpá-las.

Além do uso de protetores solares por quem pratica esportes ao ar livre, a pele também produz oleosidade. A gordura nas lentes cria manchas temporárias que embaçam a visão e ajuda a reter poeira, atrapalhando a performance.

ANTI-RISCO

Existem diversas formas de realizar este processo, inclusive tratamentos de endurecimento, dopagem do material e aplicação de camadas de materiais mais resistentes. As lentes mais resistentes a riscos são as lentes de cristal, porém quebram com mais facilidade do que as outras. Em uma lente orgânica (acrílica), por exemplo, é aplicada uma espessa camada de quartzo à superfície, ampliando em até dez vezes sua resistência contra riscos e arranhões. Na lente policarbonato é obrigatória a aplicação do verniz anti-risco, devido à facilidade destas lentes riscarem, além disso, o tratamento também é fundamental para o processo de coloração, pois sem o tratamento anti-risco, não é possível atingir o tom da coloração desejada.

Este tratamento é uma película de proteção aplicada na superfície da lente capaz de suportar determinado grau de atrito. Ela é solicitada em situações em que haja uma maior facilidade a danos desta natureza à lente. É bom para qualquer situação, evitando que pequenos corpos como areia e poeira, e até mesmo uma possível queda dos óculos danifiquem as lentes.

FOTOSSENSIBILIDADE E PROTEÇÃO ULTRA-VIOLETA: UVA, UVB E UVC


A radiação Ultravioleta (UV) faz parte da luz solar que atinge a Terra.

Ao atingir nossa pele, os raios UV penetram profundamente e desencadeiam reações imediatas como as queimaduras solares, as fotos alergias (alergias desencadeadas pela luz solar) e o bronzeamento.

Provocam também reações tardias, devido ao efeito acumulativo da radiação durante a vida, causando o envelhecimento cutâneo e as alterações celulares que, através de mutações genéticas, predispõem o câncer da pele.

A radiação UV que atinge a Terra se divide em:

radiação UVA

radiação UVB

(os raios UVC não ultrapassam a camada de ozônio).

CONSIDERAÇÕES IMPORTANTES


Apenas os raios UVB causam as queimaduras solares, portanto, o fato de não ter de ficar vermelho, não significa que a pele não sofreu ação danosa da radiação UV, porque raios UVA não causam queimaduras, mas danificam a pele e a visão.

Aquele sol de inverno que pareceu não causar problemas porque você não se queimou nada, na verdade também está prejudicando, favorecendo, principalmente, o seu envelhecimento, da mesma forma que as câmaras de bronzeamento artificial.


Devem-se evitar os horários entre 10 e 15 horas. Este é o pior horário para se expor ao sol devido à grande intensidade da radiação UVB, principal causadora de danos à pele. Se tiver que se expor ao sol neste horário, é necessário proteger-se intensamente com protetores solares de FPS alto, usar chapéus, óculos com proteção UV, roupas e ficar à sombra.

CLIQUE PARA SABER MAIS